Acessando Procedimentos Endoscópicos Endoscopia Digestiva Colonoscopia Os Pólipos e seu Tratamento

Os pólipos e seus tratamentos

E-mail Imprimir PDF

O que é um pólipo de cólon?

Pólipos são crescimentos benignos que envolvem o revestimento do intestino (tumores não cancerosos ou neoplasmas). Eles podem ocorrer em várias localizações no trato gastrointestinal, mas são mais comuns no cólon. Eles variam em tamanho de menos de um quarto de polegada até várias polegadas de diâmetro. Eles parecem pequenas protuberâncias crescendo do revestimento intestinal e se projetando para dentro do lúmen (cavidade intestinal). Eles às vezes crescem como uma “haste” e parecem cogumelos. Muitos pacientes têm diversos pólipos cicatrizados em diferentes partes do cólon.

Quão comum são pólipos de cólon? O que os causa?

Pólipos são muito comuns em adultos que tem suas chances de adquirí-los aumentadas conforme envelhecem. Enquanto são muito raros em jovens até os vinte anos, é estimado que uma pessoa comum de sessenta anos de idade, sem fatores de risco especiais para pólipos, tenha 25% de chance de ter pólipos. Nós não sabemos o que causa pólipos. Alguns especialistas acreditam que uma dieta rica em gordura e pobre em fibras pode ser uma pré-disposição para a formação de pólipo. Pode existir também um risco genético para desenvolvimento desses pólipos.

Quais são os riscos conhecidos para o desenvolvimento de pólipos?

O maior fator de risco para o desenvolvimento de pólipos é ter mais de cinqüenta anos de idade. Um histórico familiar de pólipos no cólon ou câncer de cólon aumenta os riscos de pólipos. Também, pacientes com histórico pessoal de pólipos ou câncer de cólon tem risco de desenvolver novos pólipos. Além disso, existem algumas síndromes raras de pólipos ou câncer que atingem famílias e aumenta os riscos de pólipos em idades menos avançadas.

Existem diferentes tipos de pólipos?

Existem dois tipos comuns: pólipo hiperplásico e adenoma. O pólipo hiperplásico não significa risco de câncer, por tanto não é significante. O adenoma, no entanto, acredita-se ser o precursor (origem) de quase todos os cânceres de cólon, porém a maioria dos adenomas nunca se torna câncer. Uma biópsia (ou pequeno pedaço de tecido removido) é a única maneira de diferenciar entre hiperplásico ou pólipos adenomatosos. Embora seja impossível afirmar quais pólipos adenomatosos virarão cânceres, pólipos maiores são mais suscetíveis a virarem cânceres e alguns dos maiores (aqueles maiores que uma polegada) podem já conter pequenas áreas de câncer. Como seu médico não pode ter certeza do tipo de tecido pela aparência do pólipo, médicos geralmente recomendam de todos os pólipos exceto os menores.

Como os pólipos são encontrados?

A maioria dos pólipos não causa sintomas. Os maiores podem causar sangue nas fezes, mas, mesmo esses, são na maioria das vezes assintomáticos. Logo, a melhor maneira de detectar pólipos é submeter indivíduos sem sintomas a rastreamento (screening). Diversas outras técnicas de rastreamento estão disponíveis: buscar em amostras de fezes traços de sangue, realizar sigmoidoscopia para enxergar dentro do terço mais baixo do cólon ou usar um teste radiológico como um enema de bário. Se algum desses testes encontrar ou suspeitar de pólipos, seu médico geralmente recomendará endoscopia para removê-los. Por se tratar a colonoscopia do jeito mais preciso para detectar pólipos, diversos especialistas recomendam a colonoscopia como método de rastreamento para que qualquer pólipo encontrado ou que se suspeite pode ser removido durante o mesmo procedimento.

Como os pólipos são removidos?

A maioria dos pólipos encontrados durante a colonoscopia pode ser totalmente removida durante o procedimento. Várias técnicas de remoção estão disponíveis; a maioria envolve cortá-los com um laço de fio e/ou queimar a base do pólipo com corrente elétrica. Isso é chamado de ressecamento (resection) do pólipo. Em virtude de o revestimento do intestino não ser sensível a cortes ou queimaduras, o ressecamento do pólipo não causa desconforto. Os pólipos ressecados são então examinados no microscópio para determinar o tipo de tecido e para detectar qualquer câncer.

Quais são os riscos da remoção de pólipos?

A remoção de pólipos (polipectomia) durante a colonoscopia é um procedimento ambulatorial de rotina. Possíveis complicações, que são comuns, incluem sangramento no local da polipectomia e perfuração (um buraco) do cólon. O sangramento do local da polipectomia pode ser imediato ou demorar vários dias; sangramento persistente pode quase sempre ser estancado por tratamento durante a colonoscopia. Perfurações geralmente requerem cirurgia reparatória.

Com qual frequência eu preciso de colonoscopia se eu tive pólipos removidos?

Seu médico vai decidir quando sua próxima colonoscopia será necessária. O momento depende de vários fatores, incluindo o número e o tamanho dos pólipos removidos, o tipo de tecido dos pólipos e a qualidade da limpeza do cólon no seu procedimento anterior. A qualidade da limpeza afeta a capacidade do seu médico de enxergar a superfície do cólon. Se os pólipos eram pequenos e o cólon todo estava bem visível durante a sua colonoscopia, os médicos geralmente recomendam repetir o procedimento em três anos. Se, repetida a colonoscopia, não aparecer nenhuma indicação de pólipos você talvez não precise de nenhum outro procedimento nos próximos cinco anos. Contudo se os pólipos eram grandes e chatos, seu médico deverá recomendar um intervalo de apenas alguns meses antes de repetir a colonoscopia para assegurar a completa remoção dos pólipos. Seu médico discutirá essas opções com você.
Joomlart